Água Nova Para as Mesmas Margens

Primeira das "Sete Cartas a um Jovem Filósofo"

Em Discussão

"Sete Cartas a um Jovem Filósofo"
de Agostinho da Silva

Quando

28 de Setembro, 2019
16h00

Onde

Escola Secundária
Alves Martins

Para as edições de Água Nova para as Mesmas Margens em Viseu, optámos por ler as cartas que o professor Agostinho da Silva escreveu, assinando José Navarro, a um jovem filósofo. A primeira das cartas é uma espécie de discurso inaugural. É conhecido que o professor dizia que não nascemos para trabalhar, mas para ser poetas. Pois esta carta soa a uma aproximação da sensibilidade poética. Convidámos duas pessoas cujo percurso de alguma forma se aproxima do que nesta carta está escrito, sempre pensando na relação com a poesia; e como estará presente no trabalho de uma arquitecta, ou de uma artista plástica, ou de uma chef de cozinha.

com a participação de

Mariana Pereira
O meu nome é Mariana sou de Viseu onde me desencontrei durante 18 anos. Já vivi em Roma e em Coimbra. Já vivi em desertos e num campo onde conheci uma raposa, nunca vivi nas estrelas nem nos asteróides mas costumo sonhar com eles.

Durante o meu percurso enquanto estudante de arquitectura tentei ter uma ligação à mesma através de uma vertente teórica e antropológica numa vontade de entender e justificar esta área no quotidiano de cada um de nós, mas, acima de tudo, no meu dia-a-dia.

Um disparate, não há que tentar justificar coisa nenhuma.
Actualmente, com 25 anos, vivo em Lisboa, dizem-me arquitecta por cá.
Um destes dias arranjo um veleiro e decido-me pelo mediterrâneo.

Rosário Pinheiro
Viseu 1988
Designer, ilustradora e cozinheira.
Cresceu 4cm aos 23 anos.

Para leitura

Envie-nos o seu email para ter acesso ao texto que estará em discussão nesta sessão.