Oficina de Figurino: O Princípio de um Casaco

Oficina de Figurino: O Princípio de um Casaco

Para finalizar este primeiro ciclo de oficinas dedicadas à criação de um figurino, olhamos para outro elemento importante do guarda-roupa e muitas vezes de destaque em palco, o casaco. Desta feita, contamos com a experiência de Vanessa Parauta para nos guiar na criação desta vestimenta.

Dada a maior complexidade do projecto, esta oficina começa no sábado, 16 de novembro e termina no domingo, dia 17, tudo no conforto da Casa da Ribeira – Avenida Emídio Navarro 177, Viseu.
Não é necessário trazer qualquer material, mas é recomendado que os participantes tenham conhecimentos básicos de costura.

Sobre Vanessa Parauta

O meu nome é Vanessa Parauta e tenho 27 anos. Sou natural de Poiares, peso da Régua e estudei publicidade e relações públicas, em 2010, na ESEV (Escola superior de educação de Viseu).
Depois de terminar o curso, mudei-me para Lisboa onde trabalhei numa empresa de planos de saúde e ao mesmo tempo comecei a aprender modelagem e costura de roupa. Ao fim de cerca de 3 anos decidi juntamente com o meu namorado voltar a Viseu para iniciarmos um projeto nosso. E assim nasceu a Pimpona, um espaço onde encontram materiais de retrosaria mas também onde se pode aprender a costurar.

Na Casa da Ribeira, Viseu

Oficina de Figurino: O Princípio de um Sapato

Oficina de Figurino: O Princípio de um Sapato

Dando continuidade às oficinas dedicadas à criação de um figurino, desta vez viramos a nossa atenção para o calçado através da criação de alpergatas – o princípio de um sapato. Para esta aprendizagem trabalhamos em Ana Alves, cujos anos de experiência nos prometem sair da oficina confortavelmente calçados.

Esta oficina acontece no dia 12 de outubro e repete-se dia 13 de outubro das 15h às 18h no espaço da Arte do Paninho – Rua 21 de Agosto, n.º 205
Viseu. As duas datas correspondem à mesma oficina, repetida de forma a acolher todos os interessados. Não é necessário trazer qualquer material, mas é importante que os participantes tenham conhecimentos básicos de costura.

Sobre Ana Alves

Ana Alves tem 38 anos, é licenciada em ensino básico -1.º ciclo e desde cedo se interessou por artesanato.
Aos 3 anos de idade, desafiada pela educadora de infância, borda o seu primeiro pano em bordado tradicional. Mais tarde , aos 13 descobriu o ponto de cruz e aos 18 foi formanda num curso do IEFP de bordados tradicionais portugueses. Desde aí nunca mais parou de estar ligada a esta área, sendo regularmente formadora de bordados tradicionais em oficinas de artesanato.
Paralelamente foi explorando outras áreas de artesanato nomeadamente pintura em tecido e costura criativa.
Nesta oficina que orienta será explorada a criação de alpergatas em tecido desde a sua concepção até ao produto final.

Na Arte do Paninho

Oficina de Figurino: O Princípio de um Vestido

Oficina de Figurino: O Princípio de um Vestido

Ao longo do ano, o projecto CRETA levará a cabo um conjunto de actividades relacionadas com o fazer-se Teatro. Começamos uma série de oficinas com uma que diz respeito aos figurinos, pretendemos aprender as bases de um vestido; como se faz – ou, pelo menos, aponta – um vestido? Talvez esta consciência nos dê a possibilidade de olhar para os figurinos como um elemento de discurso cénico, com tanta importância como as palavras, os gestos, ou o cenário. Convidámos Rosa Cotinha, costureira com atelier em Viseu, para nos ensinar os princípios de um vestido.

Esta oficina acontece no dia 18 de maio e repete-se dia 1 de junho das 15h às 19h na SALA 5 – Edifício Centro Comercial Ecovil – Rua do Comércio, n.º 58. As duas datas correspondem à mesma oficina, repetida por duas datas de forma a acolher todos os interessados. Não é necessário trazer qualquer material.

Sobre Rosa Cotinha

Viajou pelo mundo, nas suas diversas latitudes, que a fez ter maior sensibilidade para os diversos sabores, sons e hábitos da humanidade.
Trabalhou fora e dentro do país, entre restaurantes de referência internacional e a criação do mítico Lusco-fusco – lugar cultural, lúdico e icónico da história de Viseu do séc. XXI.
Mais tarde, reinventou-se e quis saber com que linhas se cosia a cidade de Viseu, e de cabeça e coração, desejou saber como vestir as diferentes peles da humanidade diversa, linda e plural.
Hoje, no seu atelier, no coração do Centro histórico de Viseu, recebe várias almas que podem contar com ela para vestirem os seus corpos, cuja diversidade lhe traz grande felicidade.

Na Sala 5 do Centro Comercial Ecovil